Bollywoodcast #18: Especial Retrospectiva Bollywood 2020

 


Bollywoodcast 18 no ar! 2020...o que dizer sobre esse ano tão difícil? Neste ano tentamos exorcizar o ano mais difícil que Bollywood viveu relembrando dos maiores acontecimentos deste ano histórico e tão triste. Relembramos os adiamentos, filmes lançados online, gestações e, como não poderia deixar de ser, do caso Sushant Singh Rajput e todo o escândalo envolvendo Bollywood e o sensacionalismo da mídia indiana. 

Também fizemos a retrospectiva dos filmes que mais nos fizeram bem neste ano em que distrações foram tão necessárias, além dos episódios que mais e menos gostamos aqui do Bollywoodcast. 

*Alerta de gatilho* de 28: 10 até 01:01:00 debatemos o caso Sushant, que envolve temas sensíveis como suicídio e transtorno bipolar.

Links comentados

Texto da jornalista Shalini Venugopal Bhagat no New York Times sobre o caso Sushant
Texto de Rosana Pinheiro Machado sobre o governo de Narendra Modi
Canal da Amrita Rao

Indicações


Filmes citados

Kaho Naa...Pyaar Hai
3 Idiots
Manmarziyan
Barsaat Ki Raat
War
Jawani Jaaneman
Good Newzz
Thappad
Sui Dhaaga: Made In India 
Nagina
Banjaran
Akele Hum Akele Tum

Estamos no  Spotify , Google Podcasts e no Castbox! Siga nosso podcast por lá para não perder nenhum novo episódio. Você pode baixar o episódio clicando aqui ou ouvir no Audioboom.

Comentários, sugestões e dúvidas? Envia pra gente no contatobollywoodcast@gmail.com. Você encontra a Carol no blog Deewaneando e a Isa no blog Mania de BollyEstamos no Twitter em @bollywoodcast_  , @deewaneando e @de_bolly. Nosso Instagram é @bollywoodcast_

2 comentários

  1. Mais uma vez, cheguei atrasada nos comentários. De certa forma, foi até bom porque vocês teriam que cortar muita coisa pra conseguir caber na edição. Como Bollywood me ajudou a superar 2020? O primeiro filme indiano que assisti foi Singham, acho que em 2013/2014, por causa daquela cena do Ajay arrancando o poste do chão que viralizou no Youtube. Depois, há um ou dois anos, voltei porque gosto de filmes épicos e estava cansada de Hollywood contando sempre as mesmas histórias. Vi Bahubali, Bajirao Mastani, Padmaavat e Ram-Leela (que não é épico, mas veio por outro viral: Tattad Tattad).

    Posso falar com tranquilidade que 2020 foi um dos piores anos da minha vida. Teve morte na família, brigas, violência, planos de curto e longo baixo que foram por água abaixo, prejuízo financeiro, doenças. Isso tudo em um curto espaço de tempo. Se não fosse por minha rede de apoio e pelo cinema indiano, talvez a depressão tivesse batido à minha porta.

    Os filmes indianos se tornaram minha principal válvula de escape e, de janeiro de 2020 até o momento em que posto esse comentário, assisti a 165 deles. De Awaara até AK vs AK (que saiu semana passada). A ponto de hoje eu reconhecer 99% das pessoas que aparecem em Deewangi Deewangi - ou nas fileiras do Filmfare.

    Eu vi todos do Ranveer Singh. Eu vi todos do Shah Rukh Khan, e acho que se eu encontrasse com ele na rua ia chorar de emoção porque muitas vezes os filmes dele eram a única coisa que me davam alegria e traziam luz em dias terríveis. Eu vi tudo. Eu vi Oh Darling Yeh Hai India (nem me perguntem como). Eu vi Koyla, Isa!

    Eu virei fã de gente que até um ano atrás eu nem sabia que existia.

    Minha retrospectiva do Spotify quase que só tem música de filme.

    E aprendi muitas coisas também. Comecei a ler páginas especializadas, pesquisei muito sobre as questões sociais, história do país, assisti a entrevistas, li sobre o racismo, machismo, sobre questões políticas, sobre a indústria em si. Acompanhei os casos em tempo real e descobri outros de muitos anos atrás. Cancelei e descancelei gente (na minha cabeça). No ano em que li Dom Casmurro, também li Devdas.

    E nessa saga para absorver tudo quanto fosse possível de uma indústria centenária que eu mal conhecia, acabei descobrindo o blog e o podcast. A minha sensação enquanto escutava é que eu tinha chegado MUITO tarde na festa, porque quando Bollywood estava bombando nas comunidades de Orkut da vida (isso foi na época da novela Caminho das Índias?), eu só tinha internet discada em casa rs Então, neste ano eu estava refazendo o caminho que vocês fizeram há 10 ou mais anos atrás.

    Mas, acho que foi até bom porque isso chegou na hora que eu mais precisava. Até as problematizações ao analisar os filmes me ajudaram a me distrair dos meus próprios problemas (e dos nossos, enquanto pessoas em situação de Brasil/pandemia).

    Bollywood e outras indústrias cinematográficas da Índia simplesmente me ajudaram a superar 2020. Talvez até me salvaram, de alguma forma.

    Então, fica aqui meu muito obrigado aos envolvidos e a vocês, Carol e Isa, que também fizeram companhia pra mim sem saber. Muito obrigada! Carol, o Deewaneando foi uma das maiores fontes de pesquisa. Parabéns pela sua dedicação!

    Meninas, eu espero que 2021... nem sei. Dá até medo de falar qualquer coisa e dar azar. Que pelo menos a gente sobreviva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, eu fiquei tão emocionada lendo esse comentário que até fiquei sem palavras. Muito, muito obrigada mesmo. Pelo retorno, por contar uma coisa tão pessoal, pelo carinho com tudo o que a gente faz. Sinto muito pelas suas perdas ao mesmo tempo em que fico grata por você ter tido Bollywood num ano tão difícil. Só o escapismo dessa indústria nos saiba muitas vezes. Só quem vive sabe. Queria saber seu nome para agradecer melhor! 💚

      Excluir

E aí, o que tem a dizer? Deewaneie!

Comentários ofensivos serão excluídos.